Na véspera do Dia dos Avós, veja dicas de beleza de vovós modernas

Quando pensamos numa vovó, a imagem que vem à cabeça é de uma senhora franzina, de óculos, sentada numa cadeira, fazendo crochê. No entanto, as avós modernas passam longe dessa figura. Dando banho debeleza e disposição em mulheres mais jovens, a quem andam inspirando, essas senhoras unem ritos antigos à estética moderna para se sentirem cada vez mais jovens e cheias de energia. Tudo isso, garantem elas, é para brincar com os netos, tanto no Dia dos Avós, comemorado amanhã, como em todos os outros dias do ano.

Fantásticas: Cristina, Tânia, Alzira e Jane são avós que, com vaidade e cuidados da vida toda, não aparentam a idade que têm. Além de beleza, esbanjam disposição Foto: Urbano Erbiste / Agência O Globo
  • Quando pensamos numa vovó, a imagem que vem à cabeça é de uma senhora franzina, de óculos, sentada numa cadeira, fazendo crochê. No entanto, as avós modernas passam longe dessa figura. Dando banho de beleza e disposição em mulheres mais jovens, a quem andam inspirando, essas senhoras unem ritos antigos à estética moderna para se sentirem cada vez mais jovens e cheias de energia. Tudo isso, garantem elas, é para brincar com os netos, tanto no Dia dos Avós, comemorado amanhã, como em todos os outros dias do ano.
  • — Essas avós ativas inspiram as outras gerações. São exemplos para suas filhas e até para as netas, que também buscam o gás que elas têm. Há pouco tempo, uma mulher de 60 anos, com netos, era considerada uma idosa. Hoje, não se comporta como tal — diz a educadora física da Foccus Trainning Ana Carla Grossi, especialista em terceira idade.
  • Seja cuidando da pele e do cabelo com cremes modernos ou receitas caseiras simples, seja moldando o corpo com exercícios e uma alimentação equilibrada, o desejo de muitas avós na faixa dos 60 anos é o mesmo: envelhecer com beleza. A corredora Jane Lima, a comerciante de belas madeixas Cristina Gouveia e a blogueira da pele de pêssego Tânia Ferreira afirmam que, se for para chegar aos 100, que seja com a pele, o corpo e a energia de Dona Alzira, uma senhora de 98 que nunca abandonou seu lado mulherzinha e tem como grande sonho se tornar bisavó.
Aos 98 anos, Dona Alzira é cheia de disposição e vaidade
Aos 98 anos, Dona Alzira é cheia de disposição e vaidade Foto: Urbano Erbiste / Agência O Globo
  • Alzira da Silva, 98 anos
  • Foi na fartura de cocos de Fortaleza, onde viveu até os 30 e poucos anos, que Dona Alzira descobriu o segredo da beleza e da disposição: “Ainda hoje lavo o rosto com água de coco. A pele fica muito macia! É um hábito de família. Tinha tanta fruta em casa que eu a usava no rosto e no corpo. Eu ainda bebia, tudo para hidratar.” Moradora da Glória, Alzira é inspiração para as vovós mais jovens. Ela gosta de dançar, se arrumar para as visitas e tocar violão. “Cuidar de mim foi fundamental para chegar à minha idade assim”, diz a avó de dois netos, confessando: “Só falta eu ser bisavó”.
Jane Lima é corredora
Jane Lima é corredora Foto: Urbano Erbiste / Agência O Globo
  • Jane Lima, 61 anos
  • Fora do consultório odontológico, onde trabalha desde que se aposentou como orientadora educacional, Jane é avó de três netos (o quarto está na barriga da nora). Com um corpo perfeito, não aparenta a idade que tem. “Vai fazer dois anos que voltei a correr e já participei de duas meias maratonas. Fiz balé a vida toda e, com a corrida, fiquei mais satisfeita com minha imagem. Tudo que visto fica bom. Sou uma velha metida”, brinca. Para se manter ativa, a moradora de Niterói treina três vezes por semana e se prepara para as corridas fazendo spinning e musculação. É na comida que ela tem seu segredo mais antigo: “Sou acompanhada por nutricionista por causa das provas, mas aprendi com minha mãe a comer para ficar forte. Inhame, batata-doce e aipim são alimentos que dão energia”.

 

  • Dica da especialista
  • As vovós que pretendem ser ou já são esportistas, como Jane, devem ter um acompanhamento profissional para evitar problemas depois. “O especialista dosa os treinos, especialmente na musculação, para prevenir lesões e sobrecarga”, alerta a educadora física Ana Carla Grossi, que destaca o lema “antes tarde do que nunca” para maiores de 60 anos adotarem os exercícios. Entre os benefícios, além da boa forma, Ana elege o ganho de massa muscular e óssea e a melhora do sono.
Tânia Ferreira é a avó de pele de pêssego
Tânia Ferreira é a avó de pele de pêssego Foto: Urbano Erbiste / Agência O Globo
  • Tânia Ferreira, 57 anos
  • À espera da chegada do quarto neto, Tânia se divide entre produtos modernos e receitas caseiras para manter sua pele linda, macia e bem cuidada. “Nunca fiz botox ou plástica, mas me cuido para minimizar os efeitos do tempo. Tenho um ritual de limpeza do rosto antes de dormir. Uso tônicos e sabonetes específicos e faço esfoliações para remover as células mortas e renovar a pele. Se me esqueço e deito, não consigo dormir”, diz a moradora de Copacabana, que escreve sobre estilo de vida, incluindo beleza, no blog “Inspire”. A receita do esfoliante é antiga: “Misturo mel com açúcar ou fubá e passo na zona ‘T’ do rosto (testa, nariz e queixo). Mas, quando dá preguiça ou estou com pressa, uso um esfoliante pronto”.

 

  • Dica da especialista
  • De acordo com a fisioterapeuta dermato-funcional Jizely Félix, do Instituto Nyoá, com o passar dos anos, a renovação da pele é mais lenta. “O principal benefício das esfoliações caseiras como as de nossas avós é uma limpeza mais profunda, deixando aparente a camada mais viçosa da pele. Além disso, o mel e a água de coco são ótimas fontes de hidratação”, afirma ela, que completa: “O ideal é que sejam feitas semanalmente, para a pele se recuperar, já que o fubá e o açúcar são grossos e machucam se usados com frequência”.

 

Cristina Gouveia tem cabelo incrível
Cristina Gouveia tem cabelo incrível Foto: Urbano Erbiste / Agência O Globo
  • Cristina Gouveia, 60 anos
  • A comerciante Cristina dispensa os chuveiros quentes e os mil cremes que o mercado de cosméticos oferece para os cabelos. Em prol da beleza de seus fios, levemente grisalhos, finos e muito sedosos, a avó de quatro netos faz questão de controlar a temperatura da água: “Lavo sempre com água fria. Esse é um hábito antigo que continua dando certo”. Outro segredo é o que ela usa no lugar do condicionador. “Sempre tive muito cuidado com o meu cabelo. Não me entupo de cremes e, depois do xampu, aplico a máscara de hidratação”, confessa. Dona de um estilo moderno, a moradora de Niterói adora praia, mas já na adolescência aprendeu a proteger suas madeixas: “Sempre fiquei muito bronzeada, mas nunca deixei de usar o chapéu para não queimar os fios”.

 

  • Dica do especialista
  • Segundo o Márcio Guadagno, hairstylist do Werner Coiffeur Galeria Ipanema, o cabelo da mulher de 60 anos em diante tende a ficar mais quebradiço e menos hidratado. “As alterações hormonais da idade acabam por mudar os fios”, diz. A temperatura da água é uma aliada, mas isso não dispensa uso de produtos bons: “O uso de água fria para conter a oleosidade do couro cabeludo evita a queda. Sugiro dar preferência a xampus e cremes específicos para cada tipo de cabelo e hidratações de 15 em 15 dias”.